Postagem em destaque

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Boletim Informativo, 10 de julho de 2016


“... porque é inevitável que venham escândalos...” – Mt. 18.7

Rev. Cleverson Gilvan

            Esta semana mais uma vez fomos entristecidos com uma notícia horrível no meio evangélico. Um homem designado como pastor, casado com uma pastora, foi preso por pedofilia. E aí, vergonha, indignação, surpresa, decepção e outros sentimentos semelhantes a esses, tomaram conta do meio cristão. Contudo, não podemos nos esquecer das palavras do nosso Senhor Jesus Cristo que declarou: ... é inevitável que venham escândalos.
            Vivemos num mundo corrompido pelo pecado e mesmo que creiamos que Jesus nos arrancou do império das trevas e tenha declarado que não somos deste mundo, devemos lembrar que também fomos afetados pelo pecado e precisamos, desesperadamente, que o Senhor Jesus nos santifique e nos afaste cada vez mais das coisas que não glorificam o nome do Senhor.
            Não obstante, a gravidade do assunto nos conclama a oração e a vigilância. Veja, Jesus declarou: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” (Mar 14:38 ARA). O texto nos ensina que é necessário recorrer a uma profusa ação de Deus dentro de nós por causa da nossa fragilidade. Mas devemos nos lembrar também que essa fragilidade não deve ser usada como argumento para que pequemos, pois as Escrituras dizem que em Cristo Jesus fomos libertos da escravidão do pecado e não somos mais seus devedores.
            Assim, de modo objetivo, propomos uma estratégia de oração pela liderança da igreja e também por todos os crentes:

1) Ore para que os pastores, presbíteros e diáconos sejam profundamente visitados pelo Espírito Santo dando-lhes vida e poder. At. 4.31
2) Ore a Deus para que suas necessidades sejam providencialmente supridas para que não sejam tentados nem pela escassez, nem pela fartura. Fp. 4.13
3) Ore para que os crentes tenham mais fome e sede de Deus, como o salmista revelava ter - Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água. (Slm 63:1 ARA).
4) Ore ao Senhor para que as crianças, os adolescentes e os jovens, sejam guardadas do mal deste mundo -  Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal. (Joã 17:15 ARA)

            E seja constante em oração, pois os tempos são maus!
            Então, busquemos a face do Senhor!


Avisos

Celebração da Ceia no Manancial
Pela manhã o Rev. Everton está ministrando a ceia do Senhor na Congregação Manancial.

Escola Dominical e Culto na Central
O Rev. Cleverson ministrará a aula na classe de adultos e à noite pregará na Igreja Presbiteriana de Araxá. Na central o mensageiro será o Rev. Everton.

Reunião de Oração – Projeto Ana
Na próxima terça-feira teremos nossa reunião de oração do Projeto Ana. Todos são convocados para um momento de intercessão pela família. Nossa reunião começa às 19:30 horas.

Culto de Gratidão – Bodas de Ouro
Nossos irmãos Joaquina e Isaías convidam toda a igreja para o culto de gratidão a Deus pelos 50 anos de vida conjugal. O culto será no próximo sábado – 16/7, às 19:00 horas, no templo de nossa igreja.

Kit revistas (Maternal ao Intermediário)
Solicitamos aos professores da Escola Dominical (Central e Congregações) devolver os kits das revistas que foram utilizados no 1º e 2º trimestre para que possamos arquivá-los. Esse material é reutilizado novamente. Favor encaminhar para secretaria da Igreja.

Aniversariantes
11/07
Bethania Moreira Barbosa
Central
11/07
Leonardo Wenceslau da Silva
Alto da Estação
11/07
Raquel Aparecida de Oliveira
Alto da Estação
11/07
Sebastião Dorcas Silva
Filadélfia
13/07
Fabio da Silva Faustino
Alto da Estação
13/07
Juliana Daudte Casaes

14/07
Gabriel Augusto dos Santos
Alto da Estação
16/07
Cleonice Virtude Torres de Sousa
Manancial
16/07
Paulo Raphael Avila Borges
Central



Intercessão
- Unias, tio do Fernando Meireles (saúde)
- Lucilene – falecimento da sua mãe, D. Mariana (consolo)
- Tia Lola – saúde
- Neuza Silva – saúde
- Milca, filha da Valda - Saúde



FÓRUM

Entregue, a Deus, sua Vingança
John Piper

(...) não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor.” (Rm 12:19)


Porque esta promessa é tão crucial na superação de nossa tendência em relação à amargura e a vingança? A razão é que esta promessa responde aquele dos nossos mais poderosos impulsos por trás da ira – um impulso que não é totalmente errado.

Eu posso ilustrar com uma experiência que tive durante o seminário. Eu estava em um pequeno grupo de casais que começaram a se relacionar de um modo mais profundo. Uma noite, estávamos discutindo sobre perdão e ira. Uma das jovens esposas disse que ela não podia e não queria perdoar sua mãe por alguma coisa que ela lhe tinha feito quando criança.

Falamos, então, sobre alguns dos mandamentos bíblicos com respeito a ter um espírito não perdoador.

Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou”. (Efésios 4:32)

“... se, porém, não perdoardes aos homens... tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”. (Mateus 6.15)

            Mas ela nem se mexeu. Eu chamei sua atenção dizendo que sua alma estava em perigo se ela se mantivesse em tal atitude de amargura implacável. Porém, ela estava convicta de que não iria perdoar sua mãe.

            A Graça do juízo de Deus nos foi prometida aqui em Romanos 12 como meio de nos ajudar a superar este espírito de vingança e amargura.

            O argumento de Paulo é que não devemos nos vingar, porque, exatamente a Deus, ela pertence. E para nos motivar a renunciar nos desejos vingativos, ele nos traz uma promessa — que nós, agora, sabemos ser uma promessa da graça futura — “‘Eu retribuirei,’ diz o Senhor.”

            A promessa que nos liberta de um espírito amargo, não perdoador e vingativo é a promessa que Deus é quem acertará nossas contas. Ele fará isto mais justamente e de modo mais profundo do que, jamais, você poderia ter feito. Portanto, recuemos e deixemos espaço para Deus trabalhar.



ESTUDO DIRIGIDO PARA GRUPOS FAMILIARES
Baseado na mensagem do Rev. Everton na Igreja Central

Texto: Salmo 133

A História dos Salmos [Salmos 120-134]

Esses 15 salmos são chamados "Psalms for Climbing" ou “Salmos para  Subida” em muitas versões. Mas, o que significa esse subir:
• Jerusalém estava no topo do Monte chamado “Sião”. Os judeus, freqüentemente, vinham a Jerusalém para adorar a Deus no templo. “Adorar”1 significa “Dizer a Deus quão magnífico ele é. Ao mesmo, é dizer-lhe que você o ama”. Os judeus cantavam esses salmos, enquanto subiam para a cidade de Jerusalém.

1. Apesar de serem palavras tão comuns no nosso dia, neste texto, qual a singularidade destas palavras: “Bom” e “Agradável”? [Verso 1]

2. O que, ainda no verso 1, de modo realmente significativo e prático, significa: vivermos em união?

3. Por que Davi escolheu a consagração de Arão para ilustrar unidade           [Verso 3]?

4. Onde é que o SENHOR ordena a sua bênção e a vida para sempre?

[1] “O QUE É CULTO? A palavra culto vem de uma raiz anglo-saxônica antiga, que significa "reconhecer a dignidade". Nesse caso, culto a Deus, significa reconhecer toda a sua dignidade. Podemos dizer que o verdadeiro culto é mais que uma cerimônia quando vamos à igreja. O culto a Deus é reconhecermos, verdadeiramente, a dignidade de nosso Deus e reconhecermos a nossa indignidade quando dele nos aproximamos.”  - Jose João de Paula