Postagem em destaque

sexta-feira, 24 de março de 2017

Boletim Informativo, 26 de março de 2017

Um modo Diferente de Vencer

Rev. Douglas Bastos
Fonte: Boletim 1ªIPB Goiânia

            A Bíblia nos conta, em 2 Reis 6:8-23, que o exército da Síria fazia repetidas tentativas de ataques ao exército de Israel, mas sem sucesso. Os planos e estratégias de ataque eram bem planejados e com antecedência, porém, Eliseu, o profeta, recebia o recado de Deus avisando a rota que o exército inimigo faria, transmitia o recado para o rei de Israel, e assim Israel se antecipava e os vencia. Isso aconteceu várias vezes, até que o rei sírio resolveu confrontar o seu exército buscando saber quem era o soldado espião que contava suas estratégias para o rei de Israel. Seus homens lhe disseram que eram fiéis, que não havia traidor entre eles, mas que havia um profeta em Israel chamado Eliseu, que conhecia sobrenaturalmente todos os planos e as conversas que o rei tinha na sua própria cama, e então avisava ao rei de Israel. O rei sírio se prontificou imediatamente a matar Eliseu e assim se ver livre desse entrave. Enviou, então, um poderoso e bem preparado exército, com cavalos, carros e fortes tropas, que chegou de noite e cercou a cidade de Dotã. Ainda muito cedo, pela manhã, ao sair Eliseu, o seu servo que o acompanhava lhe disse: “Ai! Meu senhor! Que faremos?” (v.15). Mas Eliseu vendo a presença e proteção sobrenatural de Deus sobre eles, disse-lhe: “Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (v.16). O profeta pediu a Deus que abrisse os olhos de seu moço, e Deus lhe mostrou que “o monte estava cheio de carros de fogo em redor de Eliseu” (v.17).
            Como o exército inimigo partiu para cima do profeta, Eliseu orou novamente e pediu a Deus que ferisse de cegueira seus inimigos e Deus atendeu favoravelmente a mais este pedido. Uma vez que os inimigos ficaram cegos, ele mesmo os conduziu para a praça de Samaria, no meio de seu povo de Israel. Deus restaurou a vista aos sírios, e, sob a ordem de Eliseu, eles foram poupados pelo povo de Deus, que não tocou em nenhum deles. Pelo contrário, serviu-lhes um banquete, dando-lhes comida, bebida e os despediu para voltarem ao seu território. A Bíblia nos diz que depois disso, nunca mais houve investidas da Síria sobre Israel.
            As três orações feitas pelo profeta nesse episódio, foram atendidas por Deus, e têm a ver com a visão. Primeiramente, Eliseu pediu a Deus que desse uma “visão sobrenatural” naquele momento ao seu companheiro. Devemos orar uns pelos outros, movidos pela compaixão de Cristo, e pela fé em seu poder e graça. Mas as outras duas orações foram feitas com o foco nos inimigos, nos seus adversários, que vieram para matá-lo. Que tipo de oração normalmente alguém seria inclinado a fazer numa situação dessas? Eliseu pediu a Deus a cegueira para os seus inimigos, pois seria uma forma de que eles não o atingissem. Mas, já com o inimigo cercado, e na linguagem popular, “com a faca e o queijo na mão”, ele pede a restauração da vista a eles, e Deus novamente o atende. O rei de Israel, vendo os inimigos dentro de seu território, e totalmente cercados, sem chances de reação, logo se prontifica para exterminá-los, para Eliseu não permite. Pelo contrário, o profeta diz que o povo deveria dar de comer e beber aos sírios, e o rei ordenou então um grande banquete, servido pelo povo de Deus. Os inimigos voltaram fartos e não mais atacaram Israel. Que modo estranho de vencer inimigo, com amor, dedicação e constrangimento! A Bíblia nos ordena, em Romanos 12:20,21 que “...se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.”
            Que Deus nos faça sempre obedientes a Ele, mesmo que a missão não seja tão agradável de executar, e o nosso desejo guerreie contra nós. Que nossa prática de vida, como povo de Deus nesse mundo tenebroso, possa envergonhar os opositores do Reino de Deus e também trazer paz a nós, pelo poder de nosso Soberano Senhor. Aleluia!


Avisos


Aniversariantes
27/03
Wanderley Rodrigo dos Santos
Alto da Estação
9285-8422
27/03
Kátia Beatriz Caldeira Silva
Filadélfia
8862-0402
27/03
Elen Bouzan Rodrigues
Central

27/03
Maria Madalena das Dores Silva
Alto da Estação
9116-7448
28/03
Thalys dos Reis Guimarães
Central
3832-6958
28/03
Elizangela
Matinha

28/03
Alberico Eustáquio Caixeta
Filadélfia

28/03
Wenderson Gonçalves de Araujo
Filadélfia
9907-6175
29/03
Eloide dos Reis
Central
3831-6874
31/03
Elenir Fernandes Silva


31/03
João Lucas dos Reis
Central
3832-4515
31/03
João Paulo P. Oliveira
Central

01/04
Moisés José de Oliveira
Central
8829-1906
01/04
Neymari Neves Lisboa
Alto da Estação


                                                                          

Reunião de Oração
Na próxima terça-feira nossa reunião de oração será dirigida por nossa UCP. Todas as crianças e todas as famílias estão convidadas para orar conosco!

Estudo Bíblico
Na quinta-feira temos uma excelente oportunidade de interação diante de temas relevantes para a vida da igreja. Participe conosco! Nosso estudo começa sempre às 19:30 horas.

Celebração da Ceia do Senhor
No mês de abril a celebração da Ceia do Senhor em conjunto se dará por ocasião da páscoa. Teremos nosso tradicional culto da Ressurreição às 07:00h da manhã, quando então celebraremos a ceia. Portanto, no próximo domingo haverá culto normalmente nas congregações.


 Culto das 7 Palavras da Cruz
Esse ano o culto das sete Palavras da cruz será realizado na Congregação da Matinha no dia 14 de abril. Toda igreja deverá participar em conjunto na com os irmãos daquela congregação.

VISITA AO ASILO
Toda última quinta do mês é dia de visita ao Asilo. Se você deseja participar entre em contato com Nazira ou Gerônima.

CAPELANIA
Toda terça às 15:00hs nossa SAF realiza suas visitas de Capelania no Hospital. Se você deseja participar desse ministério entre em contato com a Mizza.

ESCALA OFICINA DE ARTES:

07-03 INSCRIÇÕES                        04-04 MIZZA
14-03 ODETE                                  11-04 ODETE
21-03 ANA MARIA                        18-04 ANA MARIA
28-03 JOAQUINA                           26-04 JOAQUINA


Fórum

Rev. Natsan Matias

VAI TUDO BEM EM CASA?

            Essa é uma pergunta que, quase sempre, você ouve no final do culto à porta da igreja quanto o pastor lhe cumprimenta. Nossa tendência é responder: “Sim, está tudo bem!”, quase que de modo automático. Isso porque supomos que essa pergunta nada mais é do que uma troca de gentilezas ou uma frase padrão do pastor. Apesar de parecer isso, na maioria das vezes os pastores fazem essa pergunta, porque querem perceber, quem sabe, um tom diferente na resposta a fim de que, caso necessário, se dê início a um diálogo que será mais minucioso e detalhado no aconselhamento ou numa visita.
            A pergunta é sincera e tem o desejo de saber como andam as convicções cristãs dentro de sua casa. Você sabe? Se sim, qual é o critério que você usa para ter certeza disso? Não me diga que sabe disso porque seus filhos te acompanham à igreja ou participam de alguma frente de trabalho no grupo de Jovens, porque nem sempre essa regra será segura. Josh McDowell citou uma metáfora para ilustrar a necessidade de uma reforma estrutural da vida cristã. Ele relata que certa pessoa que estava pensando em reformar uma casa recém adquirida, chamou um construtor para avaliar a estrutura da casa. O comprador estava animado, até que ele e o especialista foram ao porão da casa, quando tudo pareceu menos otimista: “Este lugar está caindo aos pedaços – disse-lhe o construtor. – Nada que você conserte lá em cima vai adiantar, por causa do que está errado aqui em baixo. Acasa recebeu um veredicto de condenação, pois os alicerces estavam rachados e desmoronando.”
            À luz disso retomo a pergunta do título: Vai tudo bem em casa? Sobre o quê ela está estruturada e como estão os fundamentos que a sustentam? Não me refiro ao desempenho de seu filho na escola, na faculdade ou no emprego. Geralmente essas coisas, pelo menos superficialmente, se pode mensurar por meio das notas, do progresso dentro do trabalho, etc. Essa pergunta tem a ver com a fé verdadeira de seu filho. Por isso, é aos pais que se destina essa primeira sugestão prática que objetiva fortalecer a capacidade de defesa da fé dos pré-jovens e jovens, em seus diversos relacionamentos e estudos acadêmicos. Não raramente, os pais costumam querer delegar à igreja essa responsabilidade; por enquanto, vamos deixar a sua igreja local de fora deste embate. Agora é preciso pensar sobre como é que você poderia responder firmemente: “Sim! vai tudo muito bem em minha casa.” A resposta é: Você poderá responder com muita segurança à essa pergunta, no que diz respeito às convicções cristãs de seus filhos, caso esteja lhes ensinando como manter esta fé bem estabelecida, através da prática do ensino cristão e devocional em casa. Esta é a chave para responder, de maneira positiva e determinada, aquela nossa pergunta inicial. No entanto – e infelizmente, há muito tempo que o culto doméstico não ocupa um lugar essencial na família cristã.
            O culto doméstico auxilia na exposição devocional no lar e na aplicação de cada ensinamento nos desafios e dilemas do cotidiano. Por isso, faça dele um manancial de descanso para sua família. Estabeleça consigo e com Deus o firme propósito de começar, ou retomar, o culto doméstico com perseverança. Observe que, não raramente, individualmente há aquela perseverante disciplina para a prática de dietas e exercícios físicos, ou quase uma devoção religiosa ao seriado ou programa de TV predileto, em determinado horário. Muitos pais se empenham para criar uma disciplina de economia financeira, a fim de realizarem uma viagem dos sonhos em família; outros encontram tempo para cuidar da pele e do cabelo com pontualidade britânica. No entanto, não há um só músculo que se mova ou neurônio que organize as ideias na direção do estabelecimento do culto doméstico regular.
            Se você tem filhos pequenos, dê graças a Deus porque será mais fácil, pelo menos para eles, iniciar tal prática. Caso seus filhos já se acostumaram com a sua apatia no que diz respeito ao ensino cristão em casa, caia de joelhos e comece, individualmente, a ter seu tempo de oração regular pelo menos por um mês, onde eles saibam que você se ausentou da sala a fim de orar e de ler a Bíblia. Em seguida, peça a Deus que compartilhe essa devoção com seus filhos.
(Trecho do livro: JUVENTUDE VULNERÁVEL – Série Contexto, V. 2, de Nátsan Matias)


ESTUDO DIRIGIDO PARA CULTO DOMÉSTICO

Baseado no sermão do Rev. Cleverson Gilvan na Igreja Central

Texto: Malaquias 1.1-5

            Após terminarmos nossa série de mensagens em 1ª Timóteo, iniciamos uma nova série no livro do profeta Malaquias. Aqui também temos uma mensagem sobre revitalização da nossa vida espiritual diante do Senhor.
            Não podemos, portanto, permitir que nossa vida espiritual seja marcada pela indiferença, pela frieza e pelo pecado em todas as suas formas. Por isso, busquemos constantemente o crescimento de nossa vida diante do Senhor.
            Esta primeira parte nos fala sobre o amor do Senhor pelos seus. O Deus que nos ama tem nos chamado para perto dele.

1) O que o povo de Israel dizia sobre o amor de Deus por eles?

2) O pensamento deles sobre o amor de Deus correspondia a verdade?

3) Quando Deus age de modo a disciplinar o seu povo, nem sempre a igreja se mostra capaz de perceber o amor de Deus no ato da disciplina. De que maneira você acredita que devemos lidar com a disciplina que eventualmente Deus aplicar sobre nós?

4) O que o verso 5 diz sobre Deus?

5) Que lição isso traz para a sua vida?